terça-feira, setembro 11, 2007

Ícaro

Sem fala,
Sem calma,
Sou Ícaro.
Tenho asas, vôo ao Sol.
Para que as nuvens me devorem.
Com brinde e briho nos olhos,
E não me façam sangrar.

Há dois anos numa época primaveril, escrevi esta poesia...a primeira. Depois, fiz um primeiro livreto (que ainda não foi publicado ) impresso em papel jornal refilado manualmente e entregue a pouquíssimos amigos.

3 comentários:

Maria Lucia disse...

Continuo esperando o meu.
Amo tu.

Cléo disse...

eu tenho!!!!!
beijocas

carol disse...

Uuuueeebaaa!!!! beijinhos